domingo, 1 de dezembro de 2013

Um dia de cada vez...

Tem sido o meu lema há bastantes anos, quase 5 anos. Simples, sem grande complicação, sem grande profundidade. Mas que me resulta bem.

Estes últimos meses têm-me feito crescer, aprender, viver.
Apesar de nem tudo ser como imaginava, ou nem sempre ser como eu queria, por enquanto tenho conseguido levar a minha vida para a frente, um dia de cada vez.

Ainda tenho dúvidas em relação ao meu futuro, e alguns receios...
Tento manter a minha confiança, mas para ser sincero, nem sempre o consigo fazer.

Felizmente que estou habituado a estar "só" comigo, pois aqui tem sido difícil criar um novo grupo, estabelecer-me em termos sociais. Não esperava ter amigos de um dia para o outro, pois as grandes amizades não surgem em meras semanas. No entanto, esperava estar mais integrado. Tem sido complicado. O facto de não estar em Erasmus, não ter aulas na Universidade, e passar a maior parte do tempo no laboratório, não me permite estabelecer grandes relações.

Mas tal como tenho repetido ao longo deste post, um dia de cada vez.

Digamos que estava habituado a estar "sozinho". Mas a verdade é que mesmo nem estando sempre com eles, em Portugal tinha o meu grupo de amigos. O facto de saber que estavam por perto, tão perto como um simples telefonema ou mensagem para nos podermos encontrar, era reconfortante. Aqui longe de tudo e de todos, nos dias em que estou mais cansado, torna-se um pouco mais difícil.

Apesar de às vezes me sentir sozinho, acho que tenho conseguido lidar bem com a situação. As aprendizagens que fui tendo ao longo da minha vida, especialmente nos últimos anos, têm-me servido para me ajudar. E continuo a aprender, todos os dias um pouco mais.

Se bem que continuo a ser um pouco "ingénuo" em certos aspectos. Se bem que é um defeito ou não, que tento não perder. Gosto de manter um certo nível de ingenuidade, pois gosto de acreditar que pode existir alguma bondade nas pessoas, e não partir do pressuposto que são falsas ou desonestas. Não me deixo enganar propositadamente e estou atento, mas tento não julgar à primeira hipótese. Se bem que até agora a maior parte das pessoas que conheci, as considero falsas.

Gosto de ser um sonhador, mas acho que cada dia que passa, sou um pouco menos. Tento não perder por completo e luto por continuar a sonhar e a acreditar. Mas acho que o tempo e os constantes insucessos e desencontros, me fazem perder um pouco dessa parte. De qualquer forma, tento guardar em mim sonhos e desejos. Mesmo que não os expresse muito e que pense menos neles, tento que eles continuam presentes.

De resto, a vida vai entrando numa rotina, que eu acredito que seja normal para quem trabalha. Se bem que sempre que tenho hipótese, tento sair um pouco da rotina.

Em suma, até agora tem corrido tudo bem, fora um ou outro aspecto que não estão a progredir tão bem ou como eu gostaria. Mas vou continuar a "lutar" e a viver. Um dia de cada vez e o dia de amanhã é um novo dia cheio de novas oportunidades.

P.S.: Há dias que sinto a falta de uma boa conversa e daquele calor interior que tu me despertavas....

domingo, 20 de outubro de 2013

Alemanha ou talvez deva dizer Deutschland!

Mudar de vida, sair de casa, afastar-me dos amigos e de tudo o que conheço. Partir para um lugar diferente, onde não conheço ninguém, onde tudo é diferente, onde a língua me é estranha (apesar de gostar e de querer falar alemão, ainda não é um objetivo concretizado).

Começar a vido do 0, não é fácil. Tudo é novo, tenho de criar novos laços, novas relações, novos desafios.
Não quero dizer que isto, que eu ache que seja mau. É bom para mim, para eu crescer, para poder começar a construir a minha vida, o meu futuro. Mas também não quer dizer que seja sempre fácil.

Na esperança de estar a seguir o melhor caminho para mim, embarquei nesta aventura e nesta mudança. Sempre o disse que queria fazer e agora aqui estou, a viver a minha vida noutro país.

Tento seguir o meu lema "Um dia de cada vez", mas às vezes anseio por atingir já diversos objetivos. Saber já falar alemão, já estar integrado, já ter um grupo de amigos, já ter aqui uma nova vida. Mas há coisas que demoram tempo...

De qualquer forma, sinto-me feliz com esta mudança, custa-me estar longe da minha família (onde o meu gato está incluído) mas acho que foi um passo importante e necessário para mim.

Se tudo correr bem ficarei por cá durante alguns anos e no final, quem sabe talvez fique mesmo por cá. O futuro é incógnita e por isso vou tentar aproveitar todos os dias o melhor possível e viver da melhor forma possível.

A minha vida  mudou e a cada dia que passo, vou tomando maior consciência das mudanças que já aconteceram e das que estarão para acontecer. Desde que no final me orgulhe do meu caminho e consiga ter sucesso, poderei dizer que sou um rapaz feliz (esperando também que quando cresça, possa dizer sou um homem feliz!)

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Há dias que me apetecia...







...ir passar uns dias no meio do "nada", eu (possivelmente e no caso de existir, uma namorada também sabia bem), um livro, um caderno, uma caneta e a Natureza.

Afastar-me da vida do dia a dia, das cidades, dos carros, das multidões.

Estar comigo mesmo e apreciar o que a Natureza tem de mais belo.

Está nos meus objetivos fazer isto um dia, e apesar de saber que não o vou fazer agora (porque tenho outros objetivos pendentes) não me vou esquecer deste e também não quero esperar 50 anos.

A Vida que me dê mais uns aninhos e eu posso mostrar-lhe como faço as coisas de forma a tentar alcançar os meus objetivos.

Mas em suma, há alturas que me apetecia estar assim, não necessariamente nesta fase, mas noutras.

Às vezes...



...lembro-me.

Estes dias vão ser de despedida e de reflexão, de muitas dúvidas e incertezas, mas essencialmente de grande mudança.

Espero estar à altura e mais uma vez espero ter escolhido o melhor caminho para mim.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

E mais uma mudança "radical" na minha vida...

Primeiro para quem não tinha emprego, arranjar um foi a maior mudança dos últimos tempos.

Depois pensando eu que me ia manter por lá, sem perspetivas de nada pela frente, surge-me o meu atual trabalho, onde mais uma vez mudei radicalmente. Passando de transportes públicos, para carro, e de andar vestido normalmente, para passar a andar vestido com um estilo mais formal.

Após a habituação, pensando eu que me ia manter assim até ao final do contrato...Eis que surge o convite para uma entrevista na Alemanha...
Fez-me pensar, fez-me questionar, mas no final acabei por ir. Queria ir ver, queria saber o que me ofereciam, as minhas oportunidades e acima de tudo queria saber se conseguia ser aceite.

Foram dias complicados, dias de muita ansiedade, nervosismo e muitas dúvidas, algumas delas que ainda hoje persistem, mas que não me vão fazer recuar.

E sem esperar fui aceite e mudei "sem o saber" com uma simples palavra, mudei o meu futuro radicalmente.


Daqui a umas semanas vou partir. Vou sair do meu país, deixar a minha família, amigos e tudo o que conheço. Mudar para uma vida nova, para um sítio novo, conhecer pessoas novas... Vou viver uma nova vida e tudo sem o esperar.

Espero ter escolhido o melhor caminho para mim. O caminho mais correto, o caminho que me fará mais feliz.

A verdade é que de um momento para o outro a minha vida vai dar outra volta e desta vez não será só por 3 meses. Desta vez serão anos (se tudo correr bem e não tiver mais surpresas pelo caminho).

E assim tem mudado a minha vida num curto espaço de tempo. E sem saber bem o que me espera a seguir.

Se por vezes me "assusta" um bocado, por outras quero partir, quero seguir nesta nova caminhada, quero vencer os obstáculos, quero crescer e poder dizer que aproveitei bem a minha vida.

Porque não me posso deixar vencer pelo medo, pelos receios, não me quero acomodar. Quero sair da minha zona de conforto, apesar de saber que me vai custar. É importante para mim! Nunca senti que o meu futuro passasse por Portugal, espero que este "feeling" esteja correto, pois arrisquei numa mudança de rumo.

E seja o que for, tentarei dar sempre o meu melhor.

Não sei o que me espera, mas tento viver um dia de cada vez. Se no campo amoroso não acredito que vá mudar nos próximos anos, nos outros campos, sei que daqui a umas semanas tudo será diferente, e eu quero acreditar que será para melhor.

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Fase "estranha" ou não...

Ultimamente, apesar de os meus últimos posts poderem dar uma ideia diferente, tenho-me sentido bem sozinho.

Acho que até, estou numa fase, em que nem sinto assim tanta faltar de sair, de conviver, de estar com pessoas. Podem apelidar isto de anti-social, mas não é bem assim, eu gosto de conversar, gosto de passear, gosto de conviver, tenho amigos e gosto de passar bons momentos com eles.

O que me acontece agora é que não sinto falta disso. Apetece-me fazer mais a minha vida, à minha maneira. Que verdade seja dita, ultimamente, esta minha maneira, não inclui assim tanto atividades com amigos.

Ontem fui à Color Run, mas só porque já me tinha inscrito, julgo que se a inscrição tivesse sido nestas últimas semanas não me teria inscrito. Gostei de ter ido, diverti-me, mas não achei assim nada de épico. Provavelmente, se a inscrição tivesse sido agora, teria acabado por faltar.

Isto é apenas um exemplo da forma como ando agora.

Convidam-me para ir ao café, ou fazer isto e o outro, e o meu primeiro pensamento é logo de que não me apetece muito.

Acho que entrei numa "zona de conforto" um bocado estranha, estou bem comigo mesmo, faço o que me apetece, e tento aproveitar o melhor possível. Mas o meu aproveitar, a maior parte das vezes não coincide com o que os outros consideram aproveitar. E sinceramente muitas vezes nem me importa o que possam pensar de mim.

Gosto dos meus amigos, mas a verdade é que me sinto bem sozinho. Não me afastei de ninguém, mas também não procuro estar com ninguém.

Entrei um pouco numa rotina, que passa por mim e pela minha família. O "resto" acaba por surgir de quando em quando, mas não é uma prioridade para já. Eu tenho para mim que as amizades de verdade, não se medem pelas vezes que estamos juntos, mas pela forma como aproveitamos o tempo quando estamos juntos. Se há sinceridade, se há um à vontade para partilhar. E eu sigo-me por isto, não preciso de falar muitas vezes com determinadas pessoas para as considerar amigos a sério.

Em suma, estou bem sozinho, e habituei-me a um estilo de vida que, na maior parte do tempo, não engloba outras pessoas. Não digo que vou ficar assim eternamente, mas por agora tem sido o que me apetece.

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Rotina...

Lentamente vou entrando numa nova rotina....

Casa-trabalho-ginásio-casa-trabalho-casa-trabalho-ginásio-casa............

Pelo menos a parte do ginásio quero que assim seja, dado que estou a precisar e tenho de fazer alguma coisa por mudar.
A outra parte obrigatoriamente acontece.

Vou-me adaptando a uma nova realidade e a novas pessoas, pessoas que não poderia considerar amigos, mas apenas colegas.
Vou dando o meu melhor todos os dias, para desempenhar a minha função o melhor possível. Evito pensar muito na minha situação. Quero dar tempo ao tempo e ver no que este caminho vai dar, sem que esteja constantemente a por dúvidas e incertezas.

É uma nova fase da minha vida. Diferente de tudo o que conheci antes, mas não por isso pior.

Estou a gostar, já vou criando alguns objetivos consoante a realidade em que me encontro.

E....

Entretanto a Primavera mudou para o Verão e com isso, parece-me, foi-se embora grande parte daquela nostalgia sentimental por que andava a passar. É capaz de ser tudo da minha cabeça, mas engraçado como coincidiu com uma mudança de estação!

Bem, talvez agora escreva menos frequentemente ou consoante haja algumas novidades ou vontade de escrever.

A verdade é que tal escrevi no ínicio deste post, estou a entrar lentamente numa nova rotina, e que é que isso significa? Significa uma grande redução no número de novos acontecimentos na minha vida, de novos contactos, de novas sensações...

Quer dizer não é fixo, claro, mas é muito provável que assim seja.

De qualquer forma tal como escrevi há uns tempos atrás, não queria voltar a deixar este blog ao abandono.

Pouco ou muito, mal ou bem, uma pequena parte de mim está por aqui.

E agora uma pequena auto-motivação!

Vamos lá! Que o dia de trabalho vai começar! Força!



A todos os que trabalham espero que a semana vos seja boa, a todos os que estudam boa sorte para os exames e a todos os que estão já de férias, aproveitem-nas muito bem! =)

Um bom dia a todos com muita alegria e boa disposição!

terça-feira, 18 de junho de 2013

Caminho certo...

Às vezes penso se estarei a seguir o caminho correto.

Se as decisões que tomei agora serão as mais acertadas. Se o que estou a fazer é o que devo fazer.

Penso se deveria ter insistido em Medicina... Mas depois acho que era apenas mais uma das minhas opções e não o sonho da minha vida...
Mas se me perguntarem qual é o meu sonho, será que o sei dizer? Será que realmente tenho algum?

Há muitas coisas que gosto, que gostaria de fazer.

Acho que gostava de estudar Medicina. Acho que gostava de fazer Investigação. Acho que gostava de fazer um Doutoramento. Acho que gostava de trabalhar na Indústria. Gostava de ir trabalhar no estrangeiro.
Gostava....

...tanta coisa que eu acho que gostava e não consigo saber qual é o meu sonho..

E vivo um dia de cada vez. Sigo a minha vida, acreditando que estarei a seguir o melhor caminho para mim.

Gosto de dar uma oportunidade a tudo, pessoas e não só, gosto de onde estou, pelo menos por enquanto. Mas ainda não sei se é realmente isto...

Por agora, o meu lema, e que já me acompanha há bastantes meses é: "Um dia de cada vez, que o dia de amanhã é mais um dia cheio de novas oportunidades".

Estou bem, estou satisfeito.

Só que às vezes tenho dúvidas como muita gente tem.

Farei o melhor que sei e darei o meu melhor, e acreditarei estar a seguir o que é melhor para mim. Nunca soube o futuro, mas até agora tenho conseguido seguir um caminho, que não me parece errado. Vou à "aventura", como todos nós vamos, e acredito que irei chegar ao meu destino, seja ele qual for.

E como costumo dizer à minha amiga L., "Quando menos esperares...", digo-o agora a mim, quando menos esperar estou onde quero!


P.S.: (Não tem nada a ver com o assunto, mas é relevante) Tenho mesmo de me dedicar mais ao alemão se é que quero algum dia poder dizer que sei falar... Gosto da língua, mas quando chego do trabalho só me apetece "pastelar" e ao fim de semana  " “ ” ".... Mas vou fazer por mudar isto. Vou-me comprometer a estudar ou ler algo em alemão pelos menos duas vezes por semana. O ginásio já está em progresso, agora tem de ser isto!

sábado, 15 de junho de 2013

E finalmente aceitaste encontrar-te comigo....

...esperava por ti na esplanada. O dia estava perfeito para mim, sol com um brisa suave.
Reconheci-te ao longe, sempre com o teu jeito característico, a tua forma única de ser. Impossível não te reconhecer, estás gravada na minha memória.

Conheço o teu jeito, e as tuas expressões. Sei quando algo te preocupa, ou se estás aborrecida com algo. Sei quando não gostas de alguma coisa que alguém te tenha dito ou feito. Sei olhar nos teus olhos e ver um pouco do que te vai na alma. Ou será que deva dizer "sabia", "conhecia"?

Enquanto caminhavas na minha direção ia pensando no que te iria dizer, no que te queria dizer.
Há já bastante tempo que não tinha esta oportunidade, queria aproveitá-la ao máximo.

Sempre que te vejo, há algo em ti que mexe comigo. Não me és totalmente indiferente, apesar de tudo, ou talvez por tudo. Estranho, não o sei justificar... Apesar de tudo considero-te alguém especial, já te o disse, não preciso repetir cada vez que te vejo.

Chegaste ao pé mim, cumprimentámo-nos como de costume. Dois amigos, nada mais.
Há meses que não tinha oportunidade para falar contigo, para saber de ti. Enchi-te de perguntas sobre como estavas, como estava a correr o teu trabalho, se continuavas a gostar, se querias algo diferente, se as tuas gatas estavam boas, e se o teu sobrinho já era um "homem grande". Tanta coisa para te perguntar, tanto que queria saber. Meti-me contigo, como sempre costuma fazer. Picar-te com assuntos políticos, falar na situação atual, sabes bem que gosto deste tipo de conversas e contigo tudo surge muito naturalmente. Adoro "discutir" contigo e escutar as tuas opiniões, às vezes tão diferentes das minhas, outra vezes tão parecidas, mas que eu adoro fingir que são diferentes.

Pelo meio, ias-me perguntando coisas, e eu respondendo com toda a sinceridade, como sempre o fiz e como me comprometi (comigo mesmo) a fazer sempre que falasse contigo. Gosto de falar contigo sobre a minha vida, não que tenha muito a contar, mas há pormenores que gosto de partilhar contigo.
Tu sabes que gosto de falar contigo, és das poucas pessoas, com quem consigo falar sobre tudo e muitas vezes sobre "nada". O silêncio contigo não me incomoda, nunca me incomodou, muitas vezes falou mais alto que muitas conversas.

Ficámos a falar, não sei bem precisar quanto tempo, se foi muito, se foi pouco, não o sei... Sei que gostei e como os dias estão grandes, não se nota tanto o passar do tempo. Adoro a Primavera, já tinha dito, não já??

Num dos poucos momentos de silêncio, apeteceu-me dizer e disse-te:
- Já tinha saudades tuas, sabias? Saudades de falar contigo assim, saudades de te ouvir, saudades de partilhar coisas contigo... Não sei se o sabias mas agora ficaste a saber. Por muito estranho que te possa parecer, é a verdade... Sabes uma coisa? Apesar de tudo, ainda não me esqueci. Eu sei que preferiste afastar-te de mim,  e eu como sabes, respeito e vou respeitar sempre as tuas decisões. Talvez para ti tenha sido melhor, não quero causar problemas na tua vida. Mas para mim, não mudou muito.. Aliás se mudou, foi só o facto de ter mais saudades tuas, agora que pouco falo contigo. Continuo a lembrar-me de ti, e às vezes até imagino coisas (não tantas vezes como antes, mas de quando em quando escapa-me, é mais forte do que eu). Fiquei muito feliz por teres aceite vir ter comigo. É algo que realmente gosto, e do qual sentia realmente falta. Faz-me falta alguém como tu, alguém com quem eu consiga falar sobre tudo sem grandes problemas. Obrigado por teres vindo.
Não sei se voltarei a ter uma oportunidade como esta, por isso queria-te agradecer e queria que ficasses soubesses que senti a tua falta, mesmo apesar da distância, do pouco contacto e de tudo o mais que está pelo meio. E não julgues que vivo preso a ti, és algo que não consigo explicar bem na minha vida, mas não vivo agarrado ao passado, acredita em mim. Obrigado M.

Foi para mim o momento mais intenso da conversa. Aqui escrevi o que disse, o que tu disseste fica entre as minhas linhas. E assim chegou ao fim, tu tiveste de ir e eu tive de te deixar partir. Tens um namorado, tens uma relação estável, nunca me quis intrometer, mas não me podes pedir para me afastar de quem eu realmente gosto. Apenas respeito a distância, pelo respeito que tenho por ti. Porque por mim falaria muito mais contigo.

E assim se passou o final de tarde. Para mim foi um bom dia. Voltei para casa, com uma sensação estranha no peito, mas melhor que tudo, voltei para casa sabendo que tinha feito o que achava correto, o que achava ser o mais certo.

Se algum dia me apeteceu dar-te um beijo a meio de uma frase, sim apeteceu-me, muito. Mais vezes do que as poderei enumerar. Se algum dia o fiz ou tentei fazer, não. É algo que pode ficar na minha imaginação. Tenho gosto em falar contigo e é por isso que falo. Não procuro o que não possa ter.

Tenho perguntas que não as faço, não são corretas, nem acertadas, mas ainda assim...
Gostava muito de saber se durante este tempo em que te afastaste de mim, se voltaste a lembrar-te algumas vezes de mim, se pensaste alguma vez como eu estaria, ou o que estaria a fazer, se viste alguma coisa que gostarias de partilhar comigo, se tiveste vontade de falar comigo mas não o fizeste.


E pronto foi assim a minha tarde de sexta feira...


....se realmente aconteceu?
Não... Não estive contigo, nem falei contigo. Não te vi, nem te fui visitar. Não te fiz nenhuma surpresa, nem te perguntei como estavas.

Porque hoje (assim como em todos os outros dias) nada soube de ti.
Porque esta sexta feira foi apenas a minha imaginação....



quarta-feira, 12 de junho de 2013

Porque há dias que sonho...

... mas também há noites onde o faço.

A diferença? Muito simples de dia sou eu que os controlo, que me deixo levar por estradas impossíveis, por feito heróicos e aventuras sempre com final feliz.
Mas à noite... Tudo muda...
Os sonhos levam-me para onde querem.. Para os recantos mais escuros, para os desejos mais reprimidos, para as vontades mais escondidas.

Porque sonho sem restrições, nem consciência... E no inconsciente do meu ser, vou buscar o meu verdadeiro ser.
Sem o saber, caminho por onde durante o dia, finjo nem sequer reparar.

E muitas vezes, esse caminho vai dar a ti... Se durante quando penso em ti, apenas me deixo levar por fantasias impossíveis e que rapidamente voam. À noite as coisas são diferentes...

Sonho contigo de formas estranhas, sabendo que tens uma relação, és sempre algo inatingível. Posso chegar perto mas nunca consigo "tocar", por uma razão ou por outra, eu sei que não é possível e na minha inconsciência sei a verdade...

Ontem sonhei contigo, mais uma vez, e tenho para mim que não será a última...
Acordei com uma sensação esquisita... Uma vontade de te ver enorme, um desejo de te dizer algo...
Sou sincero durante o dia pensei muitas vezes em ir visitar-te, em fazer-te uma surpresa, em escrever uma carta, em enviar uma flor... Fantasias, eu sei... Mas nada como às vezes dar asas à imaginação... Melhor que seja eu a controlar do que seja o meu inconsciente.


E assim foi, mais um sonho.. Nada de especial. Estavas la. Eu estava contigo. Por uma razão ou por outra, não conseguia ficar a sós contigo. Não conseguia dizer o que queria. Não conseguia fazer o que desejava.

Não sei porque te continuo a trazer nos sonhos.. Julgo que seja falta de outra pessoa. Em momentos mais sentimentais, vou buscar a última pessoa por quem senti algo. Não sei...
Sei que não me és indiferente na totalidade.

Convivo bem contigo e aceito a situação, mas sendo sincero, há qualquer coisa em mim que ainda se prende a algo. Não encontro uma razão lógica. Eu aceitei as coisas, deixei elas seguirem o seu caminho, Pedi-te desculpa pelos meus erros, disse-te o que achava dos teus.
E contudo, aqui estou eu, mais noite menos noite, mais dia menos dia, mais mês, menos mês, a sonhar contigo...

Engraçado.. Ou talvez não..

E bem vou dormir, e ver o que a noite me reserva. Venha o que vier! Não tenho medo de sonhar!